Universidade de Santiago abre mestrado em Enfermagem de Saúde Materno-Infantil

A Universidade de Santiago (US), em parceria com o Instituto Politécnico de Leiria (IPL), realizou a abertura oficial do mestrado em Enfermagem de Saúde Materno-Infantil, cujo objetivo é promover e aperfeiçoar as competências técnico-científicas dos profissionais no setor.

O evento iniciou-se com uma conferência inaugural intitulada “O paradigma da intersecionalidade e a questão do género”, proferida pela Subdiretora da Escola Superior de Saúde do IPL, Carolina Henriques. Esta dirigente falou sobre o empoderamento da mulher e assegurou que espera que este mestrado ajudará os profissionais a trabalharem junto das mulheres, no sentido de ajudá-las a tornarem-se mais empoderadas para assumirem os desafios.

De seguida, a Chefe do Departamento de Ciências da Saúde, Ambiente e Tecnologias da US, Marcília Fernandes, proferiu algumas palavras indicando a importância deste mestrado para o trabalho dos enfermeiros. Fernandes apontou os vários problemas de saúde a nível materno-infantil, garantindo que este mestrado irá habilitar os estudantes para implementar medidas de humanização do trabalho de parto, melhorar no atendimento da gestante, puérpera, recém-nascido e família, a fim de reduzir a mortalidade materna e infantil.

Por sua vez, o Presidente do IPL, Rui Pedrosa, começou por agradecer a todos os envolvidos neste desafio, assegurando que a parceria entre as duas instituições é profícua. Este dirigente falou sobre o ensino, assegurando que é necessário que este gere impacto social. Falou ainda da cooperação no complemento do curso de licenciatura em Enfermagem e da mobilidade de estudantes do IPL e da US. “A relação de mobilidade é prioridade”, disse, assegurando que a lecionação deste mestrado será em conjunto e vai gerar oportunidades para os profissionais fazerem o estágio no IPL.

O Magnífico Reitor da US, Gabriel Fernandes, durante o seu discurso falou também sobre a importância do conhecimento, afirmando que “é fundamental que saibamos agregar valor ao conhecimento. O conhecimento é motor do desenvolvimento, mas devemos pô-lo ao serviço do desenvolvimento social sustentável”.

Pronunciou-se ainda sobre a dignificação da mulher e do seu empoderamento, e terminou agradecendo aos dirigentes do IPL pela colaboração na montagem deste mestrado e pelas outras parcerias.

O Reitor mencionou as diversas atividades desenvolvidas nas comunidades pelo curso de Enfermagem, apelando aos mestrandos para também participarem nas atividades nas comunidades.

De salientar que o mestrado em Enfermagem de Saúde Materno-Infantil arranca, neste mês de dezembro, com cerca de 40 alunos.

 

Andreia Pereira