Deutschland online bookmaker http://artbetting.de/bet365/ 100% Bonus.

Caiu o pano sobre a Quinzena do Campus na US

 A Universidade de Santiago (US), no seu espaço do Campus de Bolanha, em Assomada, recebeu do dia 17 ao dia 28 de Abril, perto de mil alunos do 12º ano, dos vários liceus da zona Norte da ilha de Santiago, promovendo momentos de convívio entre alunos e docentes das diferentes instituições de ensino, liceus e Universidade.

Esta iniciativa partiu da própria direcção da US e foi abraçada pelas direcções das respectivas escolas secundárias, que permitiram as deslocações dos alunos às instalações da US, no período contrário ao das aulas. Este evento foi realizado com o intuito de dar aos pré-universitários a possibilidade de conhecerem o espaço físico da Universidade de Santiago em Assomada, e não só.

Os pré-universitários ficaram, assim, a conhecer o Campus de Bolanha, através de visitas guiadas, nas quais foram acompanhados por alunos da própria US, que mostraram e explicaram aos visitantes a função de cada um dos serviços existentes neste pólo. Além disso, os alunos do ensino secundário saíram da instituição de ensino superior com mais informações sobre os diferentes departamentos e respectivas áreas do conhecimento, assim como os diversos cursos leccionados na US.

Quem visitou a US nesta quinzena teve, também, a oportunidade de ser informado, pelos funcionários da US, sobre as inscrições e as matrículas nos diferentes cursos, com especial ênfase nas oportunidades que a instituição oferece aos alunos com dificuldades no pagamento de propinas, fazendo-se referência a bolsas, ao programa Inclusão com Mérito e aos diferentes descontos que a US oferece.

Não obstante a parte informativa, os discentes da US prepararam um leque variado de actividades, como dança, música e teatro para os alunos dos liceus.

Assim, durante duas semanas, a US teve a honra de receber alunos do Liceu Amílcar Cabral, Escola Técnica Grão Duque Henri, Escola Secundária Armando Napoleão Fernandes, Escola Secundária do Tarrafal, Escola Secundária de Chão Bom, Escola Secundária Alfredo da Cruz Silva (Santa Cruz), Escola Secundária da Calheta, Escola Secundária Olegário Tavares (Achada Monte), Escola Secundária Carlos Alberto Gonçalves (Picos) e Escola Secundária Luciano Garcia (Órgãos).

Durante a visita, os alunos das escolas secundárias fizeram um teste de orientação vocacional, que após a análise ser-lhes-ão entregue, em cada liceu, respectivamente, como forma de ajudar na escolha da área profissional que pretendam seguir.

A actividade foi de tal forma bem recebida pelos alunos do ensino secundário, que estão previstos mais intercâmbios semelhantes, como forma de aproximar estes alunos do meio académico e estimular o gosto pela aprendizagem.

Girls in ICT Day na Universidade de Santiago

A Universidade de Santiago, em parceria com aWomen in Tech Africa (WITA), realiza, no dia 27 de Abril de 2017, na Sala de Conferências do Campus de Bolanha o Girls in ICT Day.

Este evento tem como objectivo comemorar o Dia Internacional de Mulheres das TIC, instituído pela União Internacional de Telecomunicações (UIT), que passa a ser comemorada na última Quinta-Feira do mês de Abril. A implementação deste dia é vista como uma forma de acção para a celebração do Girls in ICT Day em que a ideia é mostrar como as mulheres enfrentam o desafio de estar numa área, que é dita como sendo dos "homens", e mostrar que a Tecnologia está em todas as áreas.

Women in Tech Africa (WITA) é uma organização de mulheres, sem fins lucrativos, formada com a finalidade de impactar a vida das pessoas, no concernente ao apoio à liderança feminina, criando um canal que sirva de inspiração para as meninas e as mova a escolher cursos associados às tecnologias e engenharias.

Intervenções no terreno ultrapassam as expectativas da equipa da US

 Enquadrado no programa de extensão universitária Rotas do Arquipélago a equipa académica da Universidade de Santiago realizou no dia 08 de Março, quarta-feira algumas actividades tais como, formações na Escola Secundária de Boavista, visitou a escola de João Galego e realizou uma feira de saúde no Bairro da Boa Esperança.

A caravana, que está na ilha da Boavista, no âmbito da VII edição do Rotas do Arquipélago, continua com as intervenções no terreno. Os professores e os alunos da US ministraram formações em diversas áreas, tais como Instalação e Manutenção de Equipamentos Informáticos, Marketing Digital, Empreendedorismo e Gestão de Pequenos Negócios, Segurança Digital e Pesquisa Avançada no motor de busca do Google. “Eu gostei da formação. Acho que a escola deveria aderir mais a esses tipos de formações, porque somos pré-universitários e isso vai ajudar-nos muito na nossa formação quando formos para a universidade. A US é uma universidade de renome em Cabo verde, parece ter uma boa estrutura e, pela informação que eu tenho da US, saem dali dos melhores quadros para o mercado de trabalho”, afirmou Dagner Batalha, aluno do 12º ano. Por seu turno, Suilo Tavares, aluno do 11º ano, diz que “foi uma boa formação porque adquirimos novos conhecimentos acerca de informática, foi uma boa ideia da parte da US espero que continuem assim, a dar formações e a informar os jovens”.

 A Directora da Escola Secundária da Boavista, Eloisa Melo, agradece a disponibilidade da US e fala da importância da formação para os alunos, devido à carência de técnicos na ilha para ministrarem certas formações: “eles mostraram toda a boa vontade, principalmente na questão da instalação e manutenção de equipamentos informáticos. Também acho que é um incentivo para os nossos alunos. Quiçá daqui podem sair alguns que se interessem por esta área, porque a nossa ilha carece bastante de técnicos da área de instalação e manutenção de equipamentos informáticos”. Melo espera que o intercâmbio entre a escola e a US continue pois, “mesmo estando longe, hoje em dia, as novas tecnologias encurtam as distâncias. Que continuem, porque eu vejo isso como algo de partilha, a US não está fechada em si mesma, ela tem as suas potencialidades e quer partilhar com outros que precisam dele e se pudermos dar algo, também, à US, podemos incentivar os nossos alunos para estudar”, garante.

 

A feira de saúde que decorreu no Bairro de Boa esperança superou as espectativas da equipa do curso de enfermagem da US, devido à adesão das pessoas à actividade. Durante a feira, aferiu-se a pressão arterial, glicemia capilar, avaliação do estado nutricional, rastreio de câncer de mama, aconselhamento individual, assim como palestras direccionadas às crianças, sobre a higiene oral e corporal e distribuição de materiais para a higiene bocal.

 As pessoas gostaram da iniciativa. Por isso, um dos moradores do bairro Pedro Vieira disse “eu acho que isso é bom porque aqui no bairro quase não se faz esses tipos de actividades, isso foi muito bom mesmo”. “Está muito bom, porque às vezes precisamos fazer consulta mas não temos dinheiro para tal, por isso ficamos contentes que vocês tenham vindo. Apelo àqueles que não vierem ainda que venham aproveitar esta consulta porque é muito bom.”, assegurou Fátima Pinto moradora do bairro.

Para o Presidente da Comunitária Unidos pela Boavista (ACUB) Lamine Fati “isto é muito importante para a associação e para a comunidade toda, sinto-me feliz por ter esta feira de saúde aqui. A feira de saúde no Bairro de Boa Esperança é muito importante, pois a população que vive aqui não se preocupa em ir ao centro de saúde para fazer uma consulta, portanto esta feira vai ajudar bastante.”

Por sua vez, o docente do curso de Enfermagem da US Michel da Veiga faz um balanço positivo do evento assegurando que “é uma das maiores feiras já realizadas, tivemos uma boa adesão da população, todos os processos correram dentro da normalidade e ultrapassaram aquilo que era a espectativa. Abordámos crianças adolescentes e jovens adultos e idosos. É um bairro com muitos problemas, embora não tenhamos como fim solucionar os problemas, mas sim, colher dados e explorar futuramente outras intervenções que poderá ajudar na melhoria das condições desta região”.

De salientar que durante estes dias está a decorrer, na Escola Secundária da Boavista, uma feira de livros da US. Um grupo da equipa da US realizou uma visita à localidade de João Galego, para conhecer in loco a escola primária que será pintada, posteriormente, pela equipa da caravana do Rotas do Arquipélago.

Balanço positivo do primeiro dia das intervenções nas Rotas do Arquipélago

 A equipa da Universidade de Santiago visitou ontem, 06 de Março, o Centro de Artes e Cultura (CAC) e as instalações da Sociedade do Desenvolvimento Turístico das Ilhas da Boavista e Maio (SDTIBM).

A caravana da US, que está na ilha da Boavista, no âmbito do Rotas do Arquipélago, para um intercâmbio social e cultural, iniciou hoje as visitas a algumas instituições da ilha. No CAC, foram apresentados os diversos departamentos que a compõem, as actividades realizadas e as planeadas, assim como as exposições artísticas. “Nós fazemos exposições, já fizemos lançamento de livros, concursos públicos tanto na área do canto e da dança. Uma vez por mês fazemos tardes musicais, nas quais damos oportunidades as bandas musicais, mas também costumamos trazer artistas de renome, tanto nacional, como estrangeiro para abrilhantar o nosso espaço”, assegurou Eldon Lopes, Técnico do CAC.

Entretanto, na SDTIBM, foram dados a conhecer os departamentos das suas instalações e a equipa teve a oportunidade de conhecer um pouco sobre o seu projecto e funcionamento através do PCA da SDTIBM, Avelino Bonifácio. “A SDTIBM e a única sociedade vocacionada para o desenvolvimento turístico que existe em Cabo Verde, cobre as ilhas da Boavista e de Maio e tem por objectivo conceber, planear, infra-estruturar, promover e gerir as zonas do desenvolvimento turístico especiais com particular destaque para as zonas do desenvolvimento turístico integrado”, asseverou Bonifácio.

As visitas foram participativas e profícuas, portanto a equipa faz um bom balanço. De acordo com o Coordenador do Centro da Extensão da US, “o balanço é substancialmente positivo, pois fomos ao CAC numa visita guiada onde nós conhecemos aquilo que é o essencial da cultura cabo-verdiana nos painéis. Eu acho que foram informações interessantes para nós, uma vez que o Rotas é um programa para conhecer as ilhas e as suas realidades. De seguida fomos à SDTIBM e, através de uma visita guiada, conhecemos todo o historial das instituições, seus departamentos e sobretudo os projectos que têm e a prospecção que tudo isto tem em filosofia. A visita foi encerrada com um encontro muito simbólico do PCA, que ressaltou a importância que este intercâmbio tem e deixou caminhos abertos a ulteriores parcerias, sobretudo no âmbito de estudos e de pesquisas à volta de sociedade e desenvolvimento”.

De acordo com a aluna Evelise Barros, do 2º ano do curso de Enfermagem, “aqui é uma ilha muito nobre, cheia de aspectos tradicionais. A visita de hoje foi óptima, houve uma boa recepção por parte dos profissionais de saúde e de outras instituições”.

“Foi algo inédito, espectacular, e isso prova que a US está perto da comunidade e das ilhas, uma vez que já fomos para várias ilhas. Hoje conhecemos algumas instituições e fomos recebidos da melhor forma possível”, afirmou Nilson Borges aluno do 3º ano do curso de Direito.

Por sua vez, a aluna Selene Pereira aluna do 3º ano do curso de Enfermagem confirmou que “as pessoas são muito acolhedoras e simpáticas, de acordo com as funções que desempenham aqui, mostraram a sua disponibilidade em ajudar naquilo que puderem. Fomos para a comunidade do bairro da Boa Esperança convidámos pessoas para participar na feira da saúde, que vai decorrer das 8h as 15h, na qual iremos fazer rastreio de cancro da mama, glicemia, tensão arterial e consulta de nutrição. Falámos com as pessoas para saber como é que vivem, principalmente no que tange à higiene e habitação”.

De salientar que as actividades académicas não se confinam às salas de aulas. O Rotas do Arquipélago é exemplo disto. Para os próximos dias, as actividades e as intervenções no terreno continuam. A caravana tem programado ainda um conjunto de actividades de cariz social, cultural, desportivo e da saúde.

24 Enfermeiros da Região Sanitária de Fogo e Brava iniciam o curso de complemento de licenciatura

 A Universidade de Santiago (US) fez ontem, 3 de Março, na ilha do Fogo, a abertura do curso de complemento de licenciatura em Enfermagem, destinado a enfermeiros dos concelhos das ilhas do Fogo e da Brava.

Segundo o Magnífico Reitor da Universidade de Santiago, Professor Doutor Gabriel Fernandes, é a primeira acção de formação de carácter superior, a ser lecionada fora da ilha de Santiago por esta universidade. E, uma vez que já foi dado o pontapé de saída, o Magnifico Reitor desta instituição deixou aberta “a possibilidade de haver mais formações em outras áreas, quer na ilha do Fogo, quer em outras ilhas do país, mesmo que seja a partir de outros recursos – novas tecnologias, desde que haja parcerias consistentes”. De acordo com o mesmo, a preocupação principal da US é fazer com que as pessoas tenham acesso ao conhecimento e possam melhorar as suas competências técnico-científicas para que possam participar no desenvolvimento do país.

Por sua vez, o Director da Região Sanitária de Fogo e Brava (RSFB) – Dr. Luís Sanches, salientou algumas vantagens da formação ser realizada na ilha, sem ser necessário a deslocação dos alunos à ilha de Santiago para concluírem a sua licenciatura e enfrentarem outros problemas que poderiam surgir no decorrer deste processo. Enalteceu, também, o esforço da Universidade de Santiago para que o processo se concretizasse. Sanches considera este curso um grande marco para a RSFB e o início de uma longa caminhada, que, para ele e toda a RSFB, só está a começar.

O Presidente do Instituto Politécnico de Leiria (IPL), Professor Doutor Nuno Mangas, salientou que a abertura do curso representa a concretização de um projecto que se iniciou há cerca de três anos. Garantiu que o curso foi projectado de acordo com a realidade do país, mais focado para as duas ilhas beneficiárias. “Também, para nós, é uma oportunidade de contribuir para a qualificação dos enfermeiros desta região, para obterem mais competências, podendo assim, contribuir para o desenvolvimento destas ilhas periféricas, onde tudo se torna mais difícil”. Assim, segundo o Presidente do IPL, esta instituição “coloca à disposição da RSFG e da US docentes competentes para partilharem os seus conhecimentos e apoiar no desenvolvimento do país”.

Em relação aos custos, segundo o Reitor da US, “os alunos suportarão a formação, mas haverá uma comparticipação do Ministério da Saúde, em moldes a serem definidos posteriormente, de acordo com o protocolo assinado entre estas duas entidades”.

O curso vai decorrer em sessões presenciais, contando com docentes da US, de Portugal – Instituto Politécnico de Leiria, mas também com profissionais da ilha do Fogo.

A cerimónia de abertura contou com a presença do Reitor da Universidade de Santiago, Gabriel Fernandes, do presidente do Instituto Politécnico de Leiria (Portugal), o Presidente do IPL, o Doutor Nuno Mangas, e do Director da Região Sanitária Fogo e Brava (RSFB), Luís Sanches.

Download Template Joomla 3.0 free theme.