Deutschland online bookmaker http://artbetting.de/bet365/ 100% Bonus.

Universidade de Santiago cria Academia CISCO

A Universidade de Santiago, apresenta oficialmente a sua Academia CISCO, esta quinta-feira, pelas 14 horas, no Campus de Bolanha, e neste mesmo horário, nos Pólos de Tarrafal e da Praia, através de vídeo-conferência.

Esta Academia surge com o intuito de proporcionar aos alunos, professores e toda a comunidade académica do ramo de Tecnologia e Informação um excelente ambiente de aquisição de conhecimento e de prática no mundo de redes, equipamentos e segurança. Também, pretende colmatar a carência no mercado cabo-verdiano no que tange a técnicos com qualificação avançada nas diferentes tecnologias da Cisco evitando, assim, a dependência de outros mercados.

A Academia CISCO vai capacitar os alunos com conhecimentos nas tecnologias e materiais didácticos da área; ministrar cursos de categoria CORE (IT Essentials, CCNA Routing & Switching, CCNA Security, CCNP), entre outros.

A apresentação conta com a presença da Matylda Kochan, representante da CISCO nos PALOP e as formações estão previstas para iniciar no mês de Dezembro do corrente ano tendo como parceiro o Instituto Politécnico de Leiria.

Universidade de Santiago e o cancro da próstata

Como sendo o mês de Novembro, e decorrendo a campanha “Novembro Azul”, como forma de sensibilizar a sociedade sobre o cancro da próstata, a Universidade de Santiago, aproveitando a época e inserido nas actividades comemorativas do seu 8º aniversário, realizou uma conferência sobre o cancro da próstata ontem, 23 de Novembro, no Campus de Bolanha.

A conferência presidida pelo Director do Serviço de Urologia do Hospital Agostinho Neto na Praia – Dr. Mário Frederico, esclareceu várias dúvidas dos participantes, enriquecendo os seus conhecimentos sobre a doença.

Segundo dados fornecidos pelo urologista, somente no Hospital Agostinho Neto, no espaço de um ano e meio, foram diagnosticados cerca de 100 casos de cancro da próstata, exaltando o facto de que as outras oito ilhas carecem de dados.

Mas segundo Frederico, “o cancro da próstata é a segunda causa de óbito em Cabo Verde e muitas vezes acontece porque os homens não fazem o diagnóstico precoce”.

Durante o evento, o urologista falou dos factores de risco, frisando sempre a idade, histórico familiar, raça, assim como, as formas de prevenção.

Os tipos de estágios do cancro da próstata também foram alvo de uma especial atenção pelo especialista. Os participantes demonstraram-se satisfeitos e muito bem esclarecidos sobre o tema.

Como é o caso da aluna do 2º ano de Enfermagem- Naisa Pinto, que pronunciou sobre a importância desta conferência, demonstrando satisfação e o empenho em partilhar as informações recebidas do urologista. “A conferência foi importante, tirou-nos várias dúvidas em relação à doença, ganhamos mais conhecimento e assim vamos partilhar com outras pessoas. Na nossa área é muito importante porque, posteriormente seremos enfermeiros (as) e podemos lidar com esta situação”. A aluna pediu também que sejam realizadas mais conferências na área da saúde, como outros tipos de câncer, nutrição, diabetes, hipertensão, entre outros.

Também, Emanuel Semedo, docente da US e participante da conferência explicou que “a conferência foi esclarecedora, realizada numa linguagem simples, o conferencista utilizou ferramentas pedagógicas que permitiu-nos saber um pouco mais sobre o cancro da próstata”. Este participante adiantou-nos que com a conferência perdeu um pouco o receio de que tanto se fala no diagnóstico do cancro da próstata e passou a ter uma visão diferente. “Vou transmitir essa mensagem fazendo com que as pessoas percam o receio em relação ao rastreio precoce do cancro da próstata. É necessário e não é tão doloroso como costuma-se dizer. Embora penso que em relação às campanhas de sensibilização que têm vindo a ser feitas, mais do que dar informações às pessoas, explicar como é que se procede todo o processo do diagnóstico”.

Já o coordenador do curso de enfermagem, Michel da Veiga, enalteceu a importância do evento tanto para os alunos do curso de enfermagem, assim como, para a comunidade académica presente. Pois, segundo ele, “estamos no mês de Novembro, celebrando o “Novembro azul” e é uma oportunidade de sensibilizar os alunos, enriquecer os seus conhecimentos, transmitir-lhes a responsabilidade de transmitir a informação para a comunidade em geral”. Veiga adiantou ainda que esta iniciativa vai permanecer em relação a outras doenças.

Orçamento Geral do Estado 2017 alvo de debate na ESTG

Enquadrado nas festividades do 8.º aniversário da Universidade de Santiago, teve lugar uma Conferência submetida ao Tema «Orçamento Geral do Estado 2017», ontem, dia 23 de Novembro, pelas 16h00, no auditório da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, Campus da Praia da US.

Coube ao professor Démis Lobo Almeida, coordenador do curso de Direito da ESTG, e moderador da conferência, a comunicação de abertura, tendo aproveitado o ensejo para agradecer a presença de todos, felicitar a US pelo seu 8.º aniversário, fazer o enquadramento jurídico-constitucional do Orçamento do Estado e, por último, agradecer aos conferencistas a gentileza de terem aceite o convite para estarem presentes na Conferência e falarem sobre os meandros do Orçamento Geral do Estado - 2017.

Pedro Ribeiro,  Mestre em Banca e Finanças, quadro do Ministério das Finanças, docente na Universidade de Santiago e na Universidade de Cabo Verde, um dos conferencistas do evento, falou particularmente, da natureza da economia cabo-verdiana. Fez o enquadramento desta economia na perspectiva da realidade económica internacional, e, teve sempre em consideração a realidade económica e financeira do país, pronunciou sobre a dívida pública do mesmo. Falou do crescimento da economia, da inflação, do défice público e dos desafios que se colocam ao crescimento da economia cabo-verdiana.

Já o conferencista Gilson de Pina, professor no Instituto de Ciências Jurídicas e Sociais e  Assessor do Ministro das Finanças - fez uma análise centrada nas opções de política orçamental, apresentada pelo Orçamento Geral do Estado para o ano económico de 2017.

Explicou o significado e para que serve o Orçamento de Estado, os seus objectivos e principais prioridades. O conferencista debruçou-se também na perspectiva da proposta do OGE-2017, da dívida pública, do crescimento económico, da consolidação do défice, das receitas e despesas previstas, das fontes de financiamento do Orçamento, ente outros. 

Apresentou os ganhos deste orçamento de Estado, como ao (i) financiamento, (ii) Benefícios Fiscais, (iii) promoção da dinâmica empresarial, (iii) aumento do rendimento das famílias e na (iv) aposta da descentralização. 

Explicou, ainda, com algum vagar, como esta proposta de OGE pretende dinamizar a economia, assente em 3 pilares: economia, soberania e social.

Terminou apontando alguns pontos fracos desta Proposta de OGE, reconhecendo que, apesar dos ganhos, (i) não investe na Investigação, (ii) não se apresenta medidas de incentivo à exportação, e (iii) não diversifica a economia, centrando-se, quase unicamente, no sector do Turismo.

Seguiu-se o momento de debate e interacção com a audiência, composta, essencialmente por alunos da ESTG, onde foram colocadas perguntas muito pertinentes que, posteriormente, foram respondidas pelos conferencistas.

Gilson de Pina – é Doutor em Economia pelas Universidades de Coimbra e do Minho, com especialização em Políticas Monetária e Orçamental, Mestre em Economia pela Universidade de Coimbra, antigo Professor da Universidade do Minho, Professor no Instituto de Ciências Jurídicas e Sociais e  Assessor do Ministro das Finanças. 

VIII edição da US Comunidades foi um sucesso

 

A Universidade de Santiago esteve, durante os dias 19 e 20 de Novembro, no concelho de São Lourenço dos Órgãos para a realização de mais uma edição do programa US Comunidades.

A avaliação feita pelos alunos, professores, formandos e população local foi positiva. “Cada edição tem a sua particularidade, mas esta, de uma forma especial teve uma diferença bastante notável em relação às outras edições da US Comunidades. Não somente dentro das actividades realizadas na área da saúde, mas sim porque a US aproveitou as experiências anteriores e deu mais vida a esta edição”, explica Michel da Veiga, responsável pelas actividades da área da saúde.

Veiga, adianta ainda que, além do engajamento de toda a equipa da Universidade de Santiago, a hospitalidade e as parcerias locais e não só, contribuíram para tal sucesso. Em relação às actividades levadas a cabo pelo curso de Enfermagem, Michel da Veiga, disse que “ultrapassou a minha expectativa, porque acabámos por realizar um programa um pouco mais alargado do que aquilo que era o planeado. A Feira de Saúde sempre foi programada das 9h00 até às 13h e, neste período, atendemos um número significativo de pessoas”.

Esta Feira contou com a participação do Delegado de Saúde da Região de Santiago Norte, técnicos de análises clínicas, clínica geral, participação dos alunos do primeiro ao quarto ano do curso de Enfermagem. Foram realizadas várias actividades como atendimento, consultas analíticas, além da campanha de doação de sangue.

No final, todos se mostraram satisfeitos. Os alunos da US elogiaram a organização, alimentação e o comportamento de todos. “Eu gostei, diverti-me muito e aproveitei ao máximo. Participei na Feira de Saúde, além do intercâmbio entre alunos de escolas e cursos diferentes, tivemos a oportunidade de conviver com pessoas de outra localidade. Em termos de organização, ambiente, união, convivência, alimentação, tudo estava óptimo”, classifica Cleisa Rocha.

Pelo seu lado, Cecílio Pires, responsável do Banco de Sangue do HRSN, reconheceu a importância e o valor das actividades levadas a cabo pela Universidade, no sentido de promover a saúde, principalmente no que tange a campanhas de doação de sangue. “É necessário que outras instituições tenham esta iniciativa e com certeza vamos apoiá-las”, diz Pires.

“Uma iniciativa louvável e que deve continuar”

Edna Mendonça, enfermeira responsável do Centro de Saúde do concelho de São Lourenço dos Órgãos, demonstrou a sua gratidão para com a comunidade académica da Universidade de Santiago e o desejo em voltarem de novo ao município. “Espero que esta iniciativa continue e que seja realizada mais vezes, para termos a presença de outros especialistas, um programa diferente, fazendo com que estas formações e a Feira de Saúde cheguem às zonas mais distantes, com maior divulgação. Este programa é uma mais-valia para a comunidade em geral”, reconhece a enfermeira.

Outro munícipe que felicitou a iniciativa foi Sérgio Veiga, que apelou à continuidade destas actividades por parte da Universidade de Santiago, não só ao nível das comunidades, mas também em todo o arquipélago, como é o caso do programa Rotas do Arquipélago.

As formações realizadas pela Universidade de Santiago, durante uma semana, no município, mereceram nota positiva e foram classificadas pelos formandos como “uma oportunidade para aperfeiçoar e aprender novos conceitos”. Foram cerca de duzentos formandos nas áreas de Cidadania e Voluntariado, Liderança, Protocolo e Atendimento ao Público, Empreendedorismo, Inglês e Francês, entre outras áreas pertinentes. 

Mestrado em Gestão de Recursos Humanos

 Além de ter iniciado este ano lectivo 2016/2017 o curso de licenciatura na área de Gestão de Recursos Humanos, a Universidade de Santiago abre, em  Dezembro, um Mestrado na mesma área.
 O curso é destinado a todos aqueles que pretendem consolidar o conhecimento e desenvolver as competências indispensáveis ao exercício de uma actividade  profissional na área dos recursos humanos em empresas e outras organizações do sector privado ou público, designadamente nos domínios da direcção de  recursos humanos, estudos do mercado de trabalho, bem como na consultoria em recursos humanos.
 Além de munir os alunos de adequada e sólida formação científica num domínio específico da gestão, este mestrado pretende ainda desenvolver a capacidade  de implementação e utilização das tecnologias de informação e de comunicação de suporte à gestão, assim como, as competências no domínio da  aprendizagem de modo auto-orientado ou autónomo.
 Em parceria com professores do Instituto Politécnico de Leiria, a Universidade de Santiago, pretende no final de dois anos (4 semestres, dividido em 11  unidades curriculares, incluindo a Dissertação, leccionadas em módulos), colocar no mercado gestores dos recursos humanos aptos para desempenhar funções  de Cargos de Direcção Intermédia, Funções de Administração, Empreendedores, Funções de Assessoria Técnica Especializada, Funções de Gestão Pública,  qualquer que seja o sector de actividade.
 Recursos Humanos é a área predominante, mas como forma de complementar a formação dos formandos, terão unidades curriculares nas seguintes áreas:  Direito, Psicologia, Estratégia e Gestão Empresarial, Metodologias de Pesquisa.
 As inscrições já estão abertas e a propina será de 16.000$ (dezasseis mil escudos) mensalmente.

 

Confira a estrutura curricular

Download Template Joomla 3.0 free theme.