Deutschland online bookmaker http://artbetting.de/bet365/ 100% Bonus.

Curso de Verão na US supera as expectativas

 A Comissão Nacional de Eleições (CNE), em parceria com a Universidade de Santiago (US), realizou um curso de verão: "Cidadania e Assuntos Eleitorais". O principal objetivo desta formação foi colocar os formandos em contacto com o Código Eleitoral, bem como conscientizar o cidadão sobre o significado do processo eleitoral. Esta formação decorreu de 18 a 22 de setembro no Campus da Praia, (Seminário de São José) e de 25 a 30 do mesmo mês, no Campus de Assomada (Bolanha).  

A formação está enquadrada no programa, “Cidadão Eleitor do Futuro”, e a US acolheu o 3º e o 4º cursos. Durante a formação, foram ministrados quatro módulos: “Código Eleitoral Cabo-verdiano” e “Organizações e Práticas Eleitorais”, que foram ministrados pela CNE, e “Estado de Direito e Democracia” e “Ética e Deontologia Eleitoral”, que estiveram a cargo de professores da US.

De acordo com o Vice-Presidente da CNE, Dr. Amadeu Barbosa, é necessário levar este curso à sociedade em geral: “Todo o cidadão deve estar devidamente informado, para saber o que é uma eleição e para que serve. Pois, muitos participam na eleição mas não sabem o seu verdadeiro significado. Eu penso que devem participar informados e conscientes. Daí que o nosso objetivo é, exatamente, fazer com que haja a consciência cívica do que é que significa uma eleição”.

Por sua vez, o professor Doutor Nardi Sousa realça a importância do curso, assegurando que “houve uma grande procura por parte dos jovens. Em Assomada, tivemos cerca de 200 jovens e, na Praia, cerca de 50. Pelo menos no módulo em que trabalhei, eu vejo que há um défice de conhecimento dos instrumentos que promovem a democracia e sobretudo da Constituição. Os jovens sentem cansaço em relação às práticas políticas de Cabo Verde; em vez de recuperarem esta energia vital para assuntos políticos e eleitorais, eles tendem a afastar-se da política, ou seja, a não cumprir o papel de fiscalizador do sistema.

Mas, para fiscalizar, é necessário conhecer. Por isso, Sousa assegurou que é necessário que os cidadãos compreendam o sistema, o Estado do direito democrático, assim como as instituições e os instrumentos, “como a Constituição, o Código Eleitoral, para poderem assumir o seu papel ativo de fiscalizador e também melhorar o sistema. Eu penso que, com mais informação e formação, há maior conscientização política e os jovens podem contribuir para que a democracia se enraíze em Cabo Verde e a prática democrática seja outra.”

Os participantes da formação saíram mais enriquecidos e com a responsabilidade de divulgar o que aprenderam durante o curso:

"Toda a formação tem um efeito multiplicador e nós devemos saber aproveitá-lo, através de atos pós formação. Por exemplo, desenvolver formações nas diversas comunidades e informar as pessoas sobre aquilo que recebemos aqui. E penso que é uma mais-valia, porque o que vejo, na cidade da Praia e, quiçá, em todo Cabo Verde, é falta de informação e de formação de pessoas sobre as leis, as regras, sobre como funciona o sistema político do nosso país, o que faz com que as pessoas acabem por se perder nas conversas ou nas vontades de outrem." – assegurou Jimmy Brito.

Para a participante Andira Lima, a formação foi muito enriquecedora, pois, os temas que foram desenvolvidos são do conhecimento comum, “mas muitos não param para refletir sobre a tamanha responsabilidade que temos, enquanto cidadãos, em todo o processo eleitoral. Agora estamos mais poderosos porque temos mais informações, mas como todo o poder traz responsabilidade, temos o encargo de passar estas informações.”

De salientar que a formação contou, ainda, com a participação da Presidente da CNE, Dra. Maria do Rosário. Entretanto, a CNE está a preparar-se para mais uma fase do curso que vai depender das propostas que vierem dos parceiros daquela instituição.

De 25 a 29 de Setembro realizam-se os Testes de Aferição de Competência na US

Mais um ano lectivo está prestes a iniciar-se. Mas, antes, os novos alunos para este ano lectivo 17/18 precisam definir o valor da sua propina, de acordo com a política de Programa Inclusão com Mérito da Universidade de Santiago.

Através do Programa Inclusão com Mérito, o aluno decide se paga 20%, 50% ou se estuda a custo zero. Para beneficiar deste programa, basta fazer os Testes de Aferição de Competências (TAC), que são provas escritas, com o objectivo de aferir as competências do aluno. A partir da nota do teste, o aluno vai saber se paga 20%, 50% ou se estuda a custo zero.

As sebentas para a preparação dos testes já foram entregues, e as datas também já se encontram afixadas. Inicia-se com Língua Portuguesa no dia 25, seguido de Biologia e Inglês no dia 26. No dia 27, será a vez da História. Matemática e Francês ocorrerão no dia 28 e, para finalizar, temos a Filosofia no dia 29 de corrente mês.

Há cinco anos atrás, pensando em apoiar os alunos, mas valorizando o seu percurso, a US criou este Programa, dando-lhes oportunidade de estudar com qualidade, a baixo custo. Estas provas escritas, têm como objectivo reconhecer as competências do aluno.

Desde o início deste programa, já mais de trezentos alunos beneficiaram, sendo 4 com bolsa integral, atribuída ao aluno com melhor resultado nos TAC a nível geral; e os restantes beneficiaram com 50% de desconto, neste caso para o aluno com melhor resultado em cada curso. Todos os alunos aprovados no TAC têm 20% de desconto e os que tenham realizado o TAC têm 10% de desconto.

De acordo com o curso em que o aluno se inscreve, terá de fazer dois TAC, sendo um de Língua Portuguesa e outro de uma área disciplinar específica, como, por exemplo, para o curso de Direito os alunos fazem: Português + História ou Filosofia; Enfermagem – Português + Biologia; Engenharia Informática - Língua Portuguesa + Matemática.

Ao realizar estas provas, prevê-se uma média de 10 (Dez) valores, sendo 7,5 a nota mínima em cada disciplina e a média será calculada em função dos grupos disciplinares de cada curso.

Um aluno que faça os testes de Português, História ou Filosofia estará habilitado a ingressar em todos os cursos da área Humanística e Social. Caso faça Português, Matemática ou Biologia, habilitar-se-á aos cursos da área Económico-social, Tecnológica e da Saúde.

Um aluno da área de Humanística pode fazer TAC de Matemática ou de outra área, mas deve estar consciente que terá de se esforçar mais do que na área que estudou.

O rigor é o mesmo, mas o valor da propina és tu quem decide.

 

Conteúdos para o TAC 2017

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Universidade de Santiago coloca à disposição dos alunos os materiais de estudo para os Testes de Aferição de Competências - TAC.
Os TAC são provas escritas, criadas no âmbito do Programa Inclusão com Mérito, e têm como objectivo reconhecer as competências académicas de cada candidato. Não são obrigatórios, mas a sua realização dá descontos significativos na propina, conforme os resultados.
Confira abaixo os documentos:
Biologia
Filosofia
História
Inglês
Português
Matemática

Os materiais também poderão ser encontrados, em via impressa, nas unidades de ensino da Universidade de Santiago: Campus dE Bolanha - Assomada e na Escola Superior de Tecnologias e Gestão - Praia.

Datas do TAC

A Universidade de Santiago informa os alunos inscritos no ano lectivo 17/18 que as datas para a realização dos Testes de Aferição de Competências – TAC já estão afixadas. As provas serão realizadas a partir das 10 horas, no Campus de Bolanha - Assomada e na ESTG - Praia.

Confira aqui:

25/9 - Língua Portuguesa

26/9 - Biologia + Inglês

27/9 - História

28/9 - Matemática + Francês

29/9 - Filosofia

PEA: 

4/10 - Língua Portuguesa

5/10 - Prova específica do Curso

6/10 - Entrevista

Download Template Joomla 3.0 free theme.